Australianos discutem empreendedorismo e inovação durante expedição pela Amazônia

http://exame.abril.com.br/negocios/dino/noticias/australianos-discutem-empreendedorismo-e-inovacao-durante-expedicao-pela-amazonia.shtml

 

“Todos que aqui estão têm a vontade de fazer grandes coisas acontecerem mas, mais do que isso, deixar um legado forte. Uma herança de compromisso com o desenvolvimento sustentável da Austrália e do restante do planeta”, afirma De Laffitte.

Um grupo com 55 australianos desembarca em Manaus rumo a um hotel flutuante, onde fica por uma semana. Até aí a história se repete todo verão pelos encantos e atrativos do Brasil para os turistas. No entanto essa “caravana” tem um objetivo que a difere das demais: discutir inovação e possíveis investimentos, em um cenário que foge totalmente das tradicionais salas de reuniões: a Amazônia Brasileira.

A expedição é uma iniciativa do movimento “The Unstoppables” liderado pelo economista brasileiro Júlio De Laffitte, que deixou o Brasil aos 20 anos e hoje, aos 47, é um dos principais nomes da esfera empresarial da Austrália como fundador e CEO da JDL Strategies, empresa que acumula um volume de negócios de US$ 3 bilhões e tem faturamento anual de US$ 240 milhões.

Nomeado para presidir o Conselho Empresarial Austrália-Brasil, associação criada em maio de 2015 para promover o comércio e o investimento entre os dois países, De Laffitte escolheu a Amazônia Brasileira para realizar a sua segunda expedição de mentes empreendedoras. A viagem inaugural ocorreu na Antarctica, a bordo do navio quebra-gelo Sea Adventurer, e o resultado foi impressionante: geração de 98 novos negócios, US$ 15 milhões de investimentos e outros US$ 32 milhões em patrocínios.

“The Unstoppables é um movimento por meio do qual as pessoas que podem criar o futuro se unem com aquelas que podem orientar e investir. Aqueles com grandes habilidades gerenciais e de liderança podem trabalhar com o criador e o investidor para apontar o caminho. Não se trata de um grupo de multimilionários, são pessoas que querem empreender, buscando antecipar o que está por vir”, explica De Laffitte.

É praticando esse conceito de colaboração, que os australianos estão vivenciando a Amazônia Brasileira. Entre as tradicionais atividades exploradas pelos turistas, como a pesca de piranhas (espécie de peixe que habita a América do Sul) e o passeio pelo encontro das águas, o grupo discute legado. O legado deles para o mundo é a honestidade nos negócios, a seriedade e o compromisso com os parceiros. “Todos que aqui estão têm a vontade de fazer grandes coisas acontecerem mas, mais do que isso, deixar um legado forte. Uma herança de compromisso com o desenvolvimento sustentável da Austrália e do restante do planeta”, reforça o brasileiro que tem como missão ensinar as pessoas a chegarem primeiro ao futuro.

E explica: “imagine se você pudesse voltar 20 anos e estar plenamente consciente da tecnologia móvel, Google, Apple. O que você faria? Imagine saber que as oportunidades estavam a caminho. Você iria se posicionar melhor neste mercado. Agora pense nisso, cerca de 30% dos postos de trabalho em 2030 não existem hoje. Eu acredito que é preciso uma mente empreendedora de olhar para um problema e não só resolvê-lo, mas ganhar dinheiro no processo. Isso significa mais empregos, mais oportunidades e retorno aos acionistas. Isso é chegar primeiro ao futuro”.

Ao ser questionado por que Antárctica e agora a Amazônia para a realização da expedição, De Laffitte afirma que é necessário fazer com que as pessoas possam ver e lembrar o quão bonito é o nosso planeta e perceber o que estamos perdendo. Estamos destruindo tudo lentamente. “Assim, novos modelos de negócios precisam surgir; e eu sinceramente acredito que eles serão ainda mais rentáveis, e não apenas para as empresas, mas para a comunidade, para o país, para o mundo. É certo de que as pessoas voltam dessas viagens com ideias, conexões, novas amizades e acesso a fundos de investimento para começar a implementar o futuro”.

Quanto à possibilidade de negócios e projetos gerados a partir da expedição para o Brasil, o economista se mostra imensamente otimista. “Assim como os resultados da Antárctica, os números do encontro na Amazônia vão surpreender. As possibilidades são inúmeras, com investimentos que irão favorecer tanto a Austrália quanto o Brasil”.

O idealizador

Nascido em uma família brasileira de destaque com uma rica herança de negócios, Júlio De Laffitte foi aprendendo os princípios da criação de riqueza quando a maioria das crianças da sua idade ainda estavam aprendendo a andar de bicicleta. Mudou-se para Austrália em 1988, sem nenhum conhecimento da cultura empresarial do país, contatos de negócios e sem capital inicial. No prazo de sete anos, o brasileiro construiu interesses comerciais substanciais e conquistou um patrimônio invejável.

Pouco tempo depois, ele concebeu o modelo de negócios exclusivo para JDL Strategies, ao identificar a necessidade por uma empresa que pudesse oferecer planejamento financeiro na íntegra. Ele é agora um dos planejadores de investimento mais procurados da Austrália, a atração principal do Perth Money Show durante três anos consecutivos. Com seu estilo dinâmico, sua visão inovadora sobre o investimento, e sua paixão por desmistificar os princípios da criação de riqueza, ele tem sido chamado de “a resposta da Austrália para Inteligência Financeira”.

Website: http://unstoppables.com.au/